domingo, 10 de janeiro de 2010

9la


A lucidez inconsciente do sonho emana uma nevoa oracular, na qual não consigo identificar sua realidade suas imagens mais que me surpreendem, me encantam e transportam.
No sonho fui o amante, que esconde sua paixão de um monstro devorador de corações...
Fui o próprio monstro...o dragão.... com sua fúria...
Fui o velho...que tem o coração cheio de vida movido pela paixão do jovem...buscando no romance antigo os meios para despertar e estimular os que ainda estão por vir ...o inusitado...o não falado...a surpresa de quem realmente ama e é amado ... expressividade em cada gesto sutil...cada pensar e cada passo dramático rumo ao objetivo do desejo ... surpreender ... como um Eros civilizado...embora completamente louco...
Fui o frágio...o medroso... quiseram me pegar...sim! eu tenho certeza..mas quem era? um fantasma? Uma sombra? Um eu escondido? Ou simplesmente meu reflexo no espelho?
Fui o espectador de mundos... de pessoas e destinos que vistos do ângulo mais alto parecia uma novela com final feliz...e temperado com ânimos que se alteravam de acordo coma trilha sonora....rs...foi uma boa novela.
Acordei meio tonto...

3 comentários:

Alerkina disse...

Hummm...entendo...
Depois de um sonho desses é para no mínimo estar tonto por uns dois ou tres dias...
lindo, como sempre...
Mente brilhante, até dormindo vc concebe coisas geniais...

júnior disse...

“A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original”
Albert Einstein

Adoro as pessoas que fazem do pensar uma forma de vida.

Agathóss disse...

Eu sempre acordo meio tonta.... BJim